sábado, 20 de abril de 2013

Civilização chimu

A cultura Chimu é uma cultura pré-colombiana que se desenvolveu a partir dos vales dos rios Moche e Chicama, na região de La Libertad, na costa setentrional do Peru entre os séculos X e XV, no mesmo territorio onde havia já ocorrido a cultura Mochica, tratando-se possivelmente de sua legatária.
O ponto de irradiação cultural, ou pelo menos de organização política, foi o vale do Rio Moche e suas redondezas onde hoje se pode ver o sítio arqueológico de Chan Chan.
A constante expansão, acabou consolidando uma unidade política ou um Reino como sustentam alguns, que no início do século XV abrangia uma grande área, correspondente ao atual norte peruano, desde Tumbes até o vale Huarmei.
Há estudiosos que relatam que a cultura Chimú não passa de epílogo da chamada civilização Mochica observada no período em que esta alcançou a consolidação política e avultou o desenvolvimento urbano.
De fato, os Chimu destacaram-se como arquitetos e urbanistas e alguns defendem que, em verdade, são precursores dos Incas no que se refere às construções monumentais. São exemplos de sua arquitetura a cidadela de Chan Chan, muralha Chimu e a fortaleza de Paramonga, entre outras, razão pela qual alguns os consideram os melhores arquitetos do Peru antigo.
Como legatários da cultura Mochica, os Chimus também destacaram na cerâmica e e na produção metalúrgica dos mais variados objetos, desde adornos até armas.

Área geografica da civilização chimu
Os chimus viveram inicialmente na região de La Libertad, que compreende o litoral norte do Peru e os vales dos rios Chicama, Moche e Viru entre os séculos X e XV. Os arqueólogos também já encontraram vestígios chimus mais ao norte, na região de Piura e ao sul na região do vale do rio Carabayllo, próximo de Lima.

Sociedade chimu
Os chimus tinham uma sociedade estruturada em classes, e eram liderados pelo Chimucapac, o “chefe” chimu. As duas principais fontes de sustento da maioria do povo eram a agricultura e a pesca, e já domesticavam animais e construíam seus próprios barcos.

Cultura chimu
A Cultura Chimu teve amplo domínio na costa norte do Peru, a partir do século IX, logo após a predominância da Civilização Moche. Urbanistas e especialistas em hidráulica, aproveitaram ao máximo a água dos rios e do subsolo, o que lhes rendia várias colheitas ao ano. Arquitetos experientes, projetaram as muralhas em formato de trapézio, com a base alargada, leve inclinação e o topo mais afunilado.

Religião
No campo religioso, cultuavam principalmente o deus Naylamp, que seria, segundo a lenda, o criador do povo lambayeque e que teria chegado à região em um grande barco, vindo do oceano Pacífico, com sua esposa, suas concubinas e vários soldados.

Trabalho de metalurgia chimu
Também tinham uma considerável produção de cerâmicas, e as peças normalmente tem imagens representando pessoas, plantas e animais. Também eram excelentes metalúrgicos e dominavam os processos de forja, fundição, soldagem e laminação, tanto em ouro como em prata.
Os trabalhos metalúrgicos dos chimus são realmente interessantes, e em várias peças nós encontramos características mochicas e lambayeques. Quando eu pesquisava imagens sobre os trabalhos de metalurgia dos chimus eu acabei topando com vários trabalhos destes dois outros povos. O que acaba diferenciando o que é chimu, o que é mochica e o que é lambayeque é justamente a época que o artefato é datado de acordo com as medições dos arqueólogos.
Mesmo confeccionando artefatos belíssimos de ouro e prata – busquem por “metalurgia chimu” na parte de imagens do Google, tem muitos exemplos – o que mais chama atenção dos arqueólogos e historiadores são as construções de barro (adobe) dos chimus, principalmente a capital do reino.

Medicina
Médicos, praticavam o Xamanismo à base de alucinógenos, calmantes e coagulantes naturais. Espiritualizados, veneravam a lua (Shi), o mar (Ni), as ilhas e as rochas (Alaecpong). Nos ocos nas construções, em formato geométrico, guardavam alimentos, tesouros, conchas e oferendas. Os ritos, celebrados na Praça Maior, eram frequentados apenas pela nobreza. Algumas cerimônias com a tumba presente.

Escavações erqueologicas
Nas escavações ainda em andamento (maio/2012) em Huachaquito, no norte do Perú, foram encontrados os corpos de cerca de 40 crianças e 70 lhamas, cuidadosamete arrumados: as crianças sob as lhamas (o que sugere que as lhamas as transportariam no mundo espiritual). Nos corpos das crianças é facilmente perceptível o deslocamento de ossos e manipulação de órgãos fazendo certo que foram sacrificadas em alguma cerimônia religiosa.
Com a queda de Chan Chan em 1470, o ocaso desta civilização coincide com a consolidação do Incas
, razão pela qual a maioria dos historiadores os arrolam como um dos povos submetidos pelos Incas que passaram mas a ser seus principais contribuidores.

Cham cham,a cidade de barro
Toda construída em adobe, a cidade de Chan Chan é considerada “a maior cidade de barro do mundo” e chegou a abrigar cerca de 100 mil pessoas. Ela fica de frente para o Pacífico, próxima da atual cidade de Trujillo e é considerada Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO. Enquanto centro populacional Chan Chan abrigou, além do palácio com a família real, milhares de funcionários da administração pública e outros trabalhadores. Construída entre os séculos X e XI, O que chama mais atenção da cidade – além da grandiosidade – são as esculturas e os entalhes feitos nos muros, retratando animais, deuses, guardiões etc… Além de Chan Chan, os chimus também construíram outras cidades ao longo de seu território, além da cidade-fortaleza de Paramonga, que fica ao norte de Lima, próxima da atual cidade de Pativilca. Do alto de um cerro, a fotaleza é impressionante! Foi construída entre os séculos XII e XIV, e também é toda feita em barro.

O fim da civilização chimu
Segundo os arqueólogos e historiadores, os chimus acabaram entrando em rota de colisão com o crescimento do povo inca. É bem provável que os dois povos lutaram por espaço e influência em um determinado tempo e os incas levaram vantagem, assim como quando eles, os incas, desafiaram os chachapoyas e acabaram com este povo. E quando falamos em “acabar” nós não estamos dizendo que o povo foi dizimado completamente em uma grande chacina – pelo menos não nesta época… quem sabe uns séculos mais tarde…
Mas uma disputa entre dois povos na época sempre terminava com um povo assimilando os costumes do outro povo, e a cultura acabava desaparecendo de forma gradativa. Houve luta entre chimus e incas? É bem provável, mas talvez o fator principal que decretou o “sumiço” dos chimus foi justamente a assimilação dos costumes incas. E os incas também assimilaram alguns costumes dos chimus, isto era normal na época entre dois povos que viviam tão próximos.


FONTES:



 

 


Um comentário:

  1. ah eu não gostei *-* sou ótima com redações,e quero dar uma dica:Quando vocês começarem a falar sobre qualquer civilização como Maias,Incas,Mochicas entre outros,vocês deveriam começar primeiro falando QUEM ERAM essas civilizações e não começar falando logo sobre a cultura!Não entendeu?Por Exemplo,vou falar sobre os Maias:
    Os Maias foram uma grande civilização que existiu no período pré-clássico ( 1000 a.C. a 250 d.C.).Os Maias ficaram conhecidos como "os senhores do tempo" , por serem bem desenvolvidos em sua própria matemática,calculavam o tempo,daí o denominamento,relativamente,carinhoso.
    Pega leve eu tenho 11 anos RSRSR , enfim vocês entenderam o que eu quis dizer agora?espero que aceitem minha critica positiva. :)

    ResponderExcluir